Doenças reumáticas: conheça os fatores de risco

Escrito por  Carla Mateus, com entrevista a João Madruga Dias, reumatologista
Doenças reumáticas: conheça os fatores de risco Getty Images
Andar, levantar-se de uma cadeira ou abotoar uma camisa podem ser atividades difíceis e dolorosas de fazer para quem sofre de uma doença reumática. Apesar dos seus efeitos serem progressivos, é possível eliminar alguns fatores de risco de forma a impedir a sua evolução. Mas para isso, há que conhecê-los.

"Tenho reumatismo". Esta é uma expressão frequente entre quem sofre de uma das muitas doenças reumáticas, que geralmente se manifestam através de dores musculares ou esqueléticas. O termo não é rigoroso do ponto de vista médico – até porque querendo dizer tudo, na verdade quer dizer muito pouco –, mas ainda é uma designação usada pelos doentes quando se referem ao problema que os aflige.


Sob a designação de doenças reumáticas escondem-se mais de uma centena de patologias, que partilham sintomas como a dor, a tumefação (inchaço), a limitação da mobilidade e, em alguns casos, a incapacidade da região afetada. No entanto, são todas doenças muito diferentes.

João Madruga Dias, reumatologista, enumera como exemplos desta diversidade a artrite reumatóide, a espondilite anquilosante, a artrite psoriática, o lúpus eritematoso sistémico, a osteoporose, a osteoartrose, a fibromialgia e a gota úrica. Contudo, "estas são apenas algumas das doenças do campo da reumatologia e nem todas têm a mesma prevalência na população, nem a mesma gravidade", realça o reumatologista.

Apesar de ainda não ser possível apontar com total certeza o número de portugueses atingido por doenças reumáticas (o 1º Inquérito Nacional sobre Doenças Reumáticas em Portugal encontra-se em fase de análise de resultados), estima-se que cerca de 2,7 milhões de pessoas sofrem de algum tipo de queixas reumáticas.

Conhecidas por afetarem as articulações, "muitas destas doenças são consideradas multissistémicas por afetarem vários órgãos diferentes, por vezes com consequências graves", constata João Madruga Dias. Pele, glândulas salivares, olhos, músculos, intestinos, coração, rins, pulmões e até o cérebro são alguns dos órgãos que podem ser atingidos por uma doença reumática.

Quem corre maior risco?

As doenças reumáticas são a primeira causa de baixa laboral e o principal motivo de incapacidade dos portugueses. Como tal, é importante alertar para o diagnóstico atempado destes problemas, muitas vezes impercetíveis ou ignorados pelos próprios doentes durante anos. Mas não só. Também importa conhecer os fatores que levam ao aparecimento destas doenças, de forma a poder eliminá-los ou minimizá-los. Pelo menos nos casos em que isso é possível.